terça-feira, 23 de dezembro de 2008

DESCOBRINDO TALENTOS











O Projeto Descobrindo Talentos teve início em 2004 a pedido dos próprios alunos e continua a ser incentivado e renovado pelo estímulo dos mesmos. Tem como objetivo possibilitar ao aluno descobrir e valorizar seu potencial criativo, como também o respeito à produção do outro, fortalecendo deste modo sua identidade cultural e o exercício de sua cidadania. Esse projeto é orientado pela professora Tânia Góis , contempla diferentes linguagens artísticas que são trabalhadas pelos alunos a partir de leituras, debates, oficinas, que depois são demonstradas pelos mesmos através de exposição e apresentação para toda comunidade escolar.

VÍDEO - RECITAL DE POESIA

video Veja o vídeo do RECITAL

O Projeto "CANTANDO VERSOS, DESCOBRINDO POESIAS" é a mais nova versão do Projeto "Poeta Aprendiz" que acontece na escola desde o ano de 2005.
O "Poeta Aprendiz" por sua vez nasceu de uma reivindicação dos alunos que após terem participado do projeto "Descobrindo Talentos" o qual ocorre na escola desde 2004, sentiram necessidade de aprofundar essa linguagem artística.
Esse projeto tem como orientadora a Professora Tânia Góis e tem como objetivo valorizar a riqueza poética-literária existente em nosso estado e no país, bem como ajudar o aluno a valorizar o seu potencial criativo e o das outras pessoas com quem convive.
Em 2008, foram declamadas as poesias dos alunos que participaram do prêmio "Tobias Barreto de Poesia".
Foi prestada uma homenagem ao escritor sergipano Sílvio Romero , sendo recitadas algumas de suas poesias. O cantor e compositor Chico Buarque de Hollanda também foi homenageado. Houve uma coreografia da música "Roda Viva" e a encenação da música "Meu Guri".

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

"Apresentações dos trabalhos "Gravidez na adolescência" e " Drogas"












































































































Em 2008, a professora de português Denyse Melo, para atender a necessidade dos alunos das oitavas séries, do turno vespertino, trabalhou dois temas importantes: Gravidez na Adolescência e Droga.
Para o desenvolvimento desse trabalho os alunos utilizaram o laboratório de informática, a biblioteca da escola, onde houve também debates com a professora Tânia Góis, assistiram à palestra do professor Arionaldo, fizeram entrevistas, e depois apresentaram seus trabalhos de diversas formas: teatro, cineminha, música, vídeo, utilizando, inclusive, os recursos tecnológicos com muita criatividade.





































































sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

BIOGRAFIA DO NOSSO PATRONO "TOBIAS BARRETO"

TOBIAS BARRETO nasceu na vila sergipana de Campos, a 07 de junho de 1839, sendo filho de Pedro Barreto de Meneses. É o patrono da Cadeira nº 38 da Academia Brasileira de Letras.
Aprendeu as primeiras letras com o professor Manuel Joaquim de Oliveira Campos. Estudou latim com o padre Domingos Quirino, dedicando-se com tal aproveitamento que, em breve, iria ensinar a matéria em Itabaiana.
Em 1861 seguiu para a Bahia com a intenção de frequentar um seminário, mas sem vocação firme, desistiu de imediato. Sem ter prestado exames preparatórios voltou à sua vila donde saira com destino a Pernambuco. Em 1854 e 1865, o jovem Tobias, para sobreviver, deu aulas particulares de diversas matérias. Na ocasião prestou concurso para a cadeira de Latim no Ginásio Pernambucano, sem conseguir, contudo, a desejada nomeação.
Em 1867 disputou a vaga de Filosofia no referido estabelecimento. Venceu em primeiro lugar, mas é preterido mais uma vez por outro candidato.
Para ocupar o tempo entrega-se com afinco à leitura. No campo das produções poéticas passou a competir com o poeta baiano Antônio de Castro Alves.
O fato de ser mestiço prejudicou-lhe a vida amorosa numa época cheia de preconceitos, conforme testemunho de Sílvio Romero.
Na oratória Tobias se revelava um mestre, qualquer que fosse o tema escolhido para debate.
Ainda antes de concluir o curso de Direito casou-se com a filha de um coronel do interior, proprietário de engenhos no município de Escada.
Eleito para a Assembléia Provincial não conseguiu progredir na política local.
Dedicou-se vários anos a aprofundar-se nos estudos do alemão, para poder ler no original alguns dos ensaístas semânticos, à frente deles Ernest Haeckel e Ludwing Buchner. Conta Hermes Lima, em sua magnífica biografia de Tobias, que ele "para imitar o burguês, com uma nota mais ostensiva de superioridade, abria frequentemente seu luminoso leque de pavão: o germanismo." Foi em alemão que Tobias redigiu o "Deutscher Kampfer"(O lutador alemão). Mais tarde saíram de sua pena "Os Estatutos Alemães).
A residência em Escada durou cerca de dez anos. Ao voltar a Recife, aos escassos proventos que recebia juntaram-se os problemas de saúde que acabaram por impedi-lo de sair de casa. Tentou uma viagem à Europa para restabelecer-se fisicamente, porém faltavam-lhe os recursos financeiros para isso. Em Recife abriram-se subscrições para ajudá-lo a custear as despesas.
Em 1889 estava praticamente desesperado. Uma semana antes de morrer enviou uma carta a Sílvio Romero solicitando, angustiosamente, que lhe enviasse o dinheiro das contribuições que haviam sido feitas até 19 de junho daquele ano. Sete dias mais tarde falecia, hospedado na casa de um amigo.
A obra de Tobias é de significativo valor, levando em conta que o professor sergipano não chegou a conhecer a capital do Império.
Suas "Obras Completas", editadas pelo Instituto Nacional do Livro, incluem os seguintes títulos : "Ensaios e Estudos de Filosofia e Crítica", 1875; "Ensaio de pré-história da literatura alemã", "Filosofia e Crítica", "Estudos Alemães" em 1879, "Dias e Noites" em 1881, "Polêmicas" em 1901, "Discursos" em 1887, "Menores e Loucos" em 1884.
Hermes Lima, ao comentar o refúgio de Tobias Barreto em Escada, esclareceu: "Em Escada, além de publicar o "Fundamento do Direito de Punir"exige o germanismo em caminho de cultura. É onde aprofunda seu Haeckel onde elabora sua posição filosófica , onde traça as coordenadas da revolução espiritual que viria a deflagrar -se no país."